06_LARGE.jpg
906487_587509244601684_183032967_o2.jpg
06_LARGE.jpg

Mural Sonoro


SCROLL DOWN

Mural Sonoro


O Projecto Mural Sonoro, da autoria de Soraia Simões, surge no ano 2011. Pensa-o entre 2009 e 2010, altura em que se inicia na internet, baptiza-o e materializa-o em Janeiro de 2011 como ''Mural Sonoro''. Com o trabalho feito e a rede de contactos que daí adveio, o objectivo com Mural Sonoro foi, desde essa fase, estabelecer uma leitura precisa sobre a música popular realizada em Portugal e o seu impacto durante a segunda metade do século XX, contando para isso com o testemunho inédito de um conjunto de protagonistas radicados em Portugal, sem esquecer os grupos migratórios e os contextos de diáspora em que se inseriram durante esse tempo, bem como os processos económicos, sociais e políticos nos quais se envolveram.

Traça o modo como os processos sociais vividos, tendo a música como vector principal, influenciaram a sua criação, a sua produção e a sua recepção, fixando distintos testemunhos e saberes  através de história oral, para memória presente e futura. Essas fontes são igualmente usadas em textos ou trabalhos de cariz ora científico ora informativo, mas também em projectos de criação, documentação, vídeos e gravações inéditos presentes nesta plataforma, acessíveis portanto à maioria dos públicos de um modo geral.

Metodologicamente entrelaça a história oral e captação sonora com a pesquisa documental, na produção bibliográfica e na constituição de um arquivo disponível, parte dele, on-line que reúne documentos de ordem variada: entrevistas em suporte digital sonoro, artigos, colóquios, sons gravados em ambientes sonoros, sons de instrumentos musicais captados em tempo real, seminários e debates, encontros sobre Música Popular.

 

 

 

«Conversa ao Correr das Músicas», projecto audiovisual, criado e conduzido pela autora,  é iniciado no Museu Nacional da Música, numa parceria com a Associação Mural Sonoro, e no ano seguinte integra a programação do BONS SONS'15

Em Fevereiro de 2014 funda, com João Fontes Costa, a Associação Mural Sonoro. Uma Organização sem fins lucrativos. Nela encontra documentação e trabalhos inéditos da autora resultantes desse cruzamento de vários olhares e vozes. Um acervo onde distintos protagonistas da música e da cultura populares se cruzam com as ciências sociais e humanas promovendo outras interpretações sobre a sociedade portuguesa da segunda metade do século XX.

Em Agosto de 2014  foi distinguida com o Prémio Megafone Sociedade Portuguesa de Autores pelo trabalho desenvolvido no âmbito da música e da cultura populares, pela criação e partilha de conteúdos autorais inéditos na plataforma Mural Sonoro e pela criação da associação com o mesmo nome.

Este projecto faz parte  desde 2015 do consórcio liderado pela The British Library Europeana Sounds 

É autora dos conteúdos desta plataforma e editora da área ''Recepção Musical'' neste mesmo espaço, que congrega além de textos seus, os de outros trabalhadores da música e da cultura com os quais tem colaborado ou com os quais se cruzou em projectos e convida a publicar ou republicar aqui.

Desde 2011 até ao presente colaboraram com o Mural Sonoro os fotógrafos Alexandre Nobre, José Fernandes, Pedro Gomes Almeida, Helder Lagrosse, Helena Silva e Augusto Fernandes, nas traduções: Luís Peres, na montagem de vídeos: Marta Reis, Bruno Cativo, José Ricardo Barroso, Maria Joana Figueiredo, Carlos Melim e na sonoplastia e design de som de trabalhos de criação João Megre (BIG BIT).

Em Fevereiro de 2015 e Novembro de 2015 respectivamente o Mural Sonoro tornou-se parceiro de projectos desenvolvidos entre o Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Socais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e a RTP como «Memórias da Revolução» e «Extrema Esquerda Porque Não Fizemos a Revolução?». O primeiro com a colaboração da autora do projecto e investigadora desta unidade de investigação, o segundo com a sua consultoria musical.

Em Janeiro de 2016 o projecto RAPortugal 1986 - 1999 candidato pela Associação Mural Sonoro aos apoios pontuais da DGArtes obteve financiamento. Trata-se de um projecto de investigação e criação coordenado por Soraia Simões realizado entre o ano de 2016 e início de 2017 que pode também consultar nesta plataforma.

Acredita que através da intersecção de domínios do conhecimento e protagonistas com opções e visões diferenciadas - e de projectos culturais específicos que partem de dados reunidos durante esses trabalhos -, se pode construir uma nova leitura acerca da história da sociedade portuguesa da segunda metade do século XX de um modo geral e da cultura popular em particular.

 

 

 

 

906487_587509244601684_183032967_o2.jpg

Organologia


Breve exposição de instrumentos, porque o estudo dos instrumentos musicais é objecto de uma ciência denominada organologia, que os aborda segundo parâmetros como: a acústica,o historicismo, a mecanicidade, a execução e sua teorização

SCROLL DOWN

Organologia


Breve exposição de instrumentos, porque o estudo dos instrumentos musicais é objecto de uma ciência denominada organologia, que os aborda segundo parâmetros como: a acústica,o historicismo, a mecanicidade, a execução e sua teorização