Galandum Galundaina 20 Anos de Soraia Simões

Foi com grande entusiasmo que recebi, e rapidamente aceitei, o convite do grupo em Março de 2015 para escrever sobre os seus 20 anos de percurso.

Narrar as diversas fases da vida cultural e musical de um conjunto de pessoas que se revelaram essenciais para o incremento da língua mirandesa nas escolas funcionado, de igual forma, como veículo eficaz dos costumes da região, das dinâmicas presentes no ensino regulado pelos processos de transmissão oral, no ensino e divulgação de instrumentos musicais de escassa utilização nesses anos nas linguagens musicais contemporâneas, como a gaita-de-foles mirandesa, a sanfona, a flauta pastoril, o saltério baptizado pelo grupo de «tambor de cordas», o rabel, o cântaro, o pandeiro mirandês ou o bombo é também uma tentativa explanatória e de revisitação de parte de algumas práticas sociais e culturais amadorísticas presenciadas durante o meu crescimento.

Galandum Galundaina adunou nestes 20 anos de existência o aparentemente, escrever-se-ia há 20 anos, impossível: a convivialidade de domínios musicais, sonoros, estéticos, linguísticos, escalas e culturas. Aproximaram o rural do urbano de forma natural mostrando-nos que a divisibilidade a montante é o que os complementa a jusante, no feito conseguido pela perseverança do seu processo criativo. Criaram uma Associação com o seu nome e tornaram o localismo bandeira erguida em muitos lugares, na Europa e no mundo.

Mesmo com as obrigações dos trabalhos que tenho em mãos, alguns a quatro mãos, visto este livro como uma missão inquebrável: a de que a sua obra chegue pelo menos a mais uns cantos do mundo, para lá dos muitos a que já chegou.

SIMÕES, Soraia, «20 Anos Galandum Galundaina» (no prelo, previsão de public: Setembro de 2016)


Breve Descrição:

Grupo expressivo no contexto da Música Popular feita em Portugal com forte representação no contexto transnacional, nomeadamente: Espanha, França ou Brasil. Música de 'cariz tradicional mirandesa', agrupamento criado no ano 1996 com o objectivo de recolher, investigar e divulgar o património cultural, literário e musical, as práticas coreográficas e o mirandês (como língua e expressão identificativa de Miranda). 
Estabelecem uma ligação interessante entre o passado e o presente, entre antigos, recentes e já consolidados músicos e tocadores, fomentando a continuidade da diversidade cultural desta região no país e resto do mundo. 

Alguns dos items que este livro se propõe desenvolver

INTEGRANTES e o seu papel no grupo
LEGADO DISCOGRÁFICO
A LÍNGUA MIRANDESA E A UNESCO
O PAPEL DO GRUPO NAS ESCOLAS
OS INSTRUMENTOS MUSICAIS UTILIZADOS E A SUA CONSTRUÇÃO
O REPERTÓRIO
A ASSOCIAÇÃO CULTURAL GALANDUM GALUNDAINA, A SUA IMPORTÂNCIA CULTURAL, SOCIAL E POLÍTICA
O CONTEXTO DAS PRÁTICAS LOCAIS NO RESTO DO MUNDO
A IMPORTÂNCIA E EXPRESSÃO DO GRUPO ENTRE UM CONJUNTO DE OUTROS MÚSICOS DE DESTAQUE (Manuela Azevedo, José Mário Branco, Sérgio Godinho,  Gaiteiros de Lisboa, entre outros)
AS PARCERIAS E COLABORAÇÕES


ANEXOS
Transcrições de entrevistas realizadas no presente
enquadramento cronológico e análise conjunta de entrevistas realizadas
recortes de imprensa, espólio fotográfico e outros pessoais do grupo

Fotografia de capa  de José Carlos durante actuação do grupo no Festival Músicas do Mundo, Sines, 2014