Dipanda'75 é um projecto documental (1) que pretende retratar um período musical muito particular na história da música que foi feita em Angola.

 

Documentário de Alexandre Nobre, fotógrafo e documentarista angolano, em homenagem ao pai, militante de um dos movimentos independentistas africanos, com consultoria e ajuda no argumento da investigadora do Instituto de História Contemporânea da FCSH NOVA Soraia Simões, em curso (2017).

Iniciado há quase 10 anos por Alexandre Nobre o trabalho de campo para este projecto em Angola. Título Dipanda'75.

«Dipanda'75» é um projecto documental que pretende retratar um período musical muito particular na história da música que foi feita em Angola. 

No ano de 2007, na cidade de Luanda, recolheram-se dezenas de depoimentos (de músicos e compositores a historiadores e diplomatas angolanos que marcaram de modo explícito este período), registos de imagens de arquivo, de arquivos pessoais e estatais fonográficos (Rádio Nacional de Angola), dos lugares que marcaram esta história (Muxima, musseques, entre outros). 

Este Filme abrange o período que antecede a data da independência de Angola. Foca a música popular de carácter intervencionista. Num período que vai da década de quarenta até à independência de Angola.

A Música Popular, no domínio da «canção de protesto», enquadrada na luta de libertação de Angola, teve um papel de afirmação, mobilização e confrontação com o antigo regime.

A música desenvolvida nesta altura, ao utilizar línguas autóctones, o quimbundo, umbundo, quicongo, bem como os papéis fundamentais da língua oficial e de Liceu Vieira Dias ou N´Gola Ritmos, a evolução técnica e musical a partir das músicas tradicionais, são algumas das características afloradas ao longo deste projecto documental.

Pretende-se que seja a música, as letras das músicas, a contarem a história. Em conjunto com o testemunho de alguns músicos intervenientes neste processo, procuramos construir uma narrativa documento sobre este momento de importância vital para o povo angolano.

Não sendo um documentário político, a temática do documentário envolve um período de grande actividade política e partidária, a qual não se pode alhear de toda a movimentação partidária que se gerou. Não tomando partido, cinge-se a actividade partidária a factos. Cabe a cada um interpretar como entender.

(1) Blogue do Projecto: http://dipanda75.blogspot.pt/ e  Página do Projecto no Facebook: https://www.facebook.com/DIPANDA75
Equipa
Equipa
Autoria, Fotografia, Realização: Alexandre Nobre
Argumento: Soraia Simões
Montagem; Maria Joana
Recolhas fase 1 e 2 em Luanda: Alexandre Nobre (fase 1 e 2), Luís Moreira (fase 2), Arlete Leandro (fase 1 e 2), Transcrição de entrevistas e de formato analógico para digital: António Ferreira
Produção: Associação Mural Sonoro

Contextualização histórica, Narração, Textos  Blogue, Textos no Facebook: Soraia Simões

Registo IGAC, Junho de 2015