Soraia Simões, autora do Projecto de Arquivo e Documentação Mural Sonoro foi distinguida com o Prémio Megafone/ Sociedade Portuguesa de Autores 2014  pelo trabalho realizado no Projecto Mural Sonoro.

Os prémios Megafone foram criados pela Associação Cultural Megafone 5 em homenagem ao músico João Aguardela, falecido em 2009.

No dia da actuação dos três grupos musicais  finalistas, escolhidos entre um conjunto de cerca de quarenta e três que se candidataram este ano, foi anunciado o vencedor deste Prémio categoria ''Música'' (distinção para o grupo Charanga) e o vencedor na categoria ''Missão''.

Além da categoria ''Música'', para músicos e grupos de música, os Prémios Megafone/SPA também contemplam uma categoria ''Missão'', para distinguir um projecto que contribua para o desenvolvimento, investigação ou divulgação das práticas musicais e das manifestações culturais em Portugal.

O júri – composto por Luís Varatojo (Músico, Formador), Pedro Gonçalves (Jornalista de Música), Ricardo Alexandre (Jornalista, Radialista, Autor), Jorge Cruz (Músico, Autor, Compositor), Fausto da Silva (Radialista, Autor, Dinamizador Cultural), Raquel Bulha (Radialista) e Luís Ferreira (Director Artístico do Festival Bons Sons) – decidiu igualmente atribuir o prémio “Missão” ao projecto Mural Sonoro, distinguindo assim o projecto da Associação Mural Sonoro, criada por Soraia Simões para estudar a Música Popular em Portugal.

O grupo de 'música tradicional mirandesa' Galandum Galundaina, vencedor do mesmo Prémio na categoria ''Música'' no ano de 2010 foi o padrinho desta noite de entrega de Prémios e actuou no palco Fernando Lopes-Graça, onde a cerimónia decorreu, para milhares de espectadores.

A noite Megafone terminou com os sempre companheiros do músico João Aguardela, Luís Varatojo e Ricardo Alexandre, e a sua selecção/passagem de músicas que formam parte da riqueza musical e espólio fonográfico que compõe a vasta cultura musical em Portugal.

Para o Mural Sonoro este reconhecimento é um sinal de esperança que exprime a importância que o trabalho de investigação na área dos Estudos de Música Popular tem de assumir na cultura em Portugal de um modo geral e não só na Academia, a importância da partilha de dados científicos, sociais e humanos que enformam as práticas musicais. E a confirmação de que este trabalho só existe porque existe música, músicos, intérpretes, autores, compositores, engenheiros de som, construtores de instrumentos, pedagogos, produtores que reafirmam a importância do vasto património musical e cultural português entre si e no resto do mundo.

Prémio Megafone Sociedade Portuguesa de Autores 2014 Entrevista da autora e presidente da Associação Mural Sonoro para Doc no prelo (Abril de 2016) (c) Miguel Freire

Prémio Megafone Sociedade Portuguesa de Autores 2014
Entrevista da autora e presidente da Associação Mural Sonoro para Doc no prelo (Abril de 2016)
(c) Miguel Freire

Com a certeza que a problemática e apelo levantados por João Aguardela com o seu trabalho, que reflectia a necessidade do reconhecimento da dimensão das várias práticas musicais e culturais existentes em Portugal num contexto alargado, a aproximação do meio urbano das características sonoro-musicais do resto do país e as do resto do país do meio urbano, será um fosso que tende a diminuir no contexto global: um Muito Obrigada não só por este reconhecimento à Associação  Megafone5 que respira a sua obra, como pelo legado que nos deixou.

Soraia Simões

Associação Mural Sonoro

Fotografia de Capa: Luís Arez (no âmbito de entrega de Prémios Megafone/SPA 2014) 

Fotografia de Texto: Carlos Martins (Festival Bons Sons, Palco Fernando Lopes-Graça, Prémios Megafone/SPA 2014)

Vídeos de Associação Cultural Megafone 5


Comment