78ª Recolha de Entrevista

 

                                                                                                                        Only with permission

Rights reserved - Free access

Quota MS_00047 Europeana Sounds

BI: Ruben Luís Tristão de Carvalho e Silva  nasceu em Lisboa no ano de 1943.

 

É Jornalista desde 1963. Autor de diversas publicações no domínio do fado, bem como noutros universos da Música Popular, de programas de rádio (‘Crónicas da Idade Mídia, em exemplo, continua a fazer parte, à data em que esta recolha é feita, da grelha de programação da Antena 1 da RTP) e diversos artigos neste âmbito em Jornais e Revistas.

Foi chefe de redacção de ‘’Vida Mundial’’, redactor coordenador no ‘’O Século’’ e chefe de redacção do semanário ‘’Avante!’’ a partir do primeiro número da série legal, director da rádio local ‘’Telefonia de Lisboa’’, membro do Conselho de Opinião da RTP em 2002, responsável pelo ‘’Avante!’’ (órgão central do PCP) de Abril de 1974 a Junho de 1995.

A sua actividade política encontra-se em várias etapas do seu percurso profissional com a cultural, tal como se pode apreender na discussão de alguns dos assuntos levantados nesta conversa para o Arquivo Mural Sonoro de que se disponibiliza, mais uma vez, apenas uma parte, sendo a restante transcrita para trabalho escrito.

Foi membro do executivo da CDE de Lisboa, membro executivo da Comissão Executiva das Festas de Lisboa e da Comissão Municipal de Preparação de LISBOA 94 – Capital Europeia da Cultura (ano em que Amália Rodrigues dá o seu último espectáculo, no Coliseu em Lisboa, sob a programação de Ruben de Carvalho. Tal como refere Joel Pina em entrevista para este Arquivo), deputado à Assembleia da República eleito pelo distrito de Setúbal, Vereador da Câmara Municipal de Lisboa desde as autárquicas de 2005, membro do Executivo da Comissão Organizadora da Festa do «Avante!» desde 1976 e, entre um numeroso conjunto de dinamizações na música e cultura populares, um dos principais responsáveis pela actuação no ano de 1983 do músico, activista e compositor americano Pete Seeger no Pavilhão dos Desportos em Lisboa, que ficaria registado em fonograma acompanhado de um livro e folheto de fotografias.

Além de membro do Comité Central do Partido Comunista Português, foi também Vereador da Câmara Municipal de Lisboa desde as autárquicas de 2005 e responsável na Câmara Municipal de Lisboa  pelo Roteiro do Anti-fascismo.

Na parte disponível online desta conversa fala da sua ligação às várias linguagens disponíveis na comunicação (a crónica, a rádio, a televisão, o livro) e das suas limitações e contrariedades, do papel assumido pelos discursos utilizados em vários domínios musicais, de alguma da bibliografia do fado e do foco e presença no universo do fado de alguns dos autores/escritores com as suas convicções estéticas, políticas e ideológicas, da relevância da gravação sonora para a compreensão de determinados processos nas práticas da música e da cultura popular em sociedade, do contacto com a música por via indirecta (publicidade, cinema, arquitectura), etc.

 

Entre a variada bibliografia do fado contam-se trabalhos da autoria de Ruben de Carvalho, como são os casos de “As Músicas  do Fado” (Campo das Letras, 1994), “Histórias do Fado” (Ediclube, 1999) ou “Um Século de Fado” do mesmo ano e editora.

2014 Ruben de Carvalho à conversa com Soraia Simões, Perspectivas e Reflexões no Campo

Som e Edição: Soraia Simões

Pesquisa e texto: Soraia Simões

Recolha efectuada em casa de Ruben de Carvalho

Fotografias: Madalena Santos