62ª Recolha de Entrevista

 

Only with permission

Rights reserved - Free access

Quota MS_00061 Europeana Sounds

BI: Fernando Meireles é um músico-construtor e artesão, que ao fim de cerca de duas décadas e meia permanece no fundo de um dos corredores de ar abandonado da Associação Académica de Coimbra com a sua oficina-Atelier.

O seu trabalho longo tem sido consagrado à feitura de instrumentos, e com encomendas várias de cordofones por si feitos de músicos vários como Pedro Caldeira Cabral ou Julio Pereira, as sanfonas, concertina*, viola braguesa, bandolim e cavaquinhos tocados no grupo do qual faz parte – Realejo – saíram todos da sua oficina.

Fernando Meireles tem o seu trabalho reconhecido em vários pontos do mundo, como a Casa Real Espanhola onde se encontra uma guitarra por si construída, o seu trabalho de recuperação da sanfona foi inequivocamente elogiado por estudiosos reconhecidos como Louzã Henriques.

Nesta recolha de entrevista expressa a ''dignidade'' que esteve na base da sua aplicação e investimentos pessoais, em horas de pesquisa e trabalho, conferidos aos instrumentos tradicionais portugueses, da paixão que mantém ao fim deste tempo pela actividade, nas emoções experimentadas na construção de um instrumento medieval que já estava em extinção - a sanfona (ler em secção Organologia do Portal Mural Sonoro) na importância inicial do seu contacto com a academia conimbricense, onde se apresentava regularmente com o cavaquinho, para os instrumentos que por encomenda (ainda na República onde residiu em Coimbra) passou a construir (como cavaquinhos, bandolins, que considerava na altura serem instrumentos sem grandes cuidados, muito toscos, pesados, muito desafinados e conferiam um problema para se tocarem), da evolução do interesse pela construção e dedicação que passou a dar à guitarra portuguesa, das horas passadas em bibliotecas ''de bibliografia em bibliografia'' e das cartas e livros pedidos do estrangeiro, mas Fernando Meireles debruça-se ainda sobre as políticas culturais e o 'modus operandi', de notáveis diferenças, entre o seu país e o estrangeiro, sobre um certo isolamento a que o seu percurso levou nos últimos anos, sobre a curiosidade e alerta de consciências que a forma como conduz a sua actividade tem despertado no meio musical de construção e uso destes instrumentos, etc.

Muita da matéria-prima que encomenda vem de outros pontos geográficos como França ou Alemanha e reflecte sobre o papel facilitador que a internet passou a assumir neste ponto fundamental (de contactos com fornecedores de boas madeiras ou outros materiais).

Os seus instrumentos são, como referido, amplamente considerados. Uma guitarra braguesa feita por Fernando Meireles é também uma obra de interesse artístico, além de sonoro-musical, a boca desenhada em flores é exclusiva e difícil, apesar das tentativas, de igualar.

 

© 2013 Fernando Meireles à conversa com Soraia Simões, Perspectivas e Reflexões no Campo

Recolha efectuada na Oficina-Atelier de Fernando Meireles
Paisagem Sonora incluída

Som, Pesquisa, Texto: Soraia Simões

Comment