53ª Recolha de Entrevista

Only with permission

Rights reserved - Free access

Quota MS_00029 Europeana Sounds

BI: José Mário Branco nasceu no Porto em 1942. É um autor (músico, compositor, arranjador) com uma vasta experiência no meio cultural, social no geral e musical em particular.

Escreveu para teatro, cinema, televisão, autores diversos até hoje.

Nesta recollha de entrevista, entre muitos outros aspectos, fala da sua primeira infância em Leça da Palmeira, no contacto que desde muito cedo teve com a música, que o moldaria para sempre (tocou flauta de bisel, piano, acordeão e chegou a ter aulas de violino, instrumento pelo qual tinha um fascínio, mas que depressa se desfez por as aulas não passarem, durante um ano, além do modo como deveria ser manuseado/relação entre o indivíduo e o instrumento, sem poder emitir qualquer som), da aproximação e paixão que Luís Monteiro lhe ia proporcionando com a etnomusicologia, do papel de Lopes-Graça nessa difusão (especialmente em algumas das recolhas de Giacometti, por ele seleccionadas e veiculadas, no grupo onde José Mário se inseria), no seu exílio em França em 1963 e no seu regresso a Portugal no ano de1974, na importância de alguns dos fonogramas que produziu (grande parte com o apoio/financiamento antecipado do público) em edições de autor, do interesse súbito por grande parte dos meios de comunicação social pelo 'FMI' (gravado ao vivo no Teatro Aberto a 1 de Maio 1981 e misturado por José Manuel Fortes em 1982), no seu afastamento dos palcos como resposta à crise (bem diferente da que motivou/ilustrou o PREC) actual, na diferença substancial no meio musical português que a música passou a assumir nas décadas de 80/inícios de 90 (e que se reflecte no seu trabalho/LP 'A Noite', de 1985), etc.

No vasto legado fonográfico de José Mário Branco e de participações/colectivos que integrou, contam-se: Seis cantigas de Amigo (EP, este disco seria gravado em 1967, embora não constasse no mesmo referenciado o ano, e foi publicado pelos Arquivos Sonoros Portugueses com Giacometti por detrás da edição), Ronda do Soldadinho (Single, Ed. Autor, 1969) Single, Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades (LP, Guilda da Música, 1971), Margem de certa maneira (LP, Guilda da Música, 1972), A Mãe (LP, 1978), Marchas Populares (EP, Diapasão, 1978), Gente do Norte- Moncorvo Torre e Gente/Cantar de Viúva de Imigrante (Single, Diapasão, 1978), O Ladrão do Pão (EP, Diapasão, 1978), Ser solidário (2LP, Edisom, 1982), FMI (Maxi, Edisom, 1982), Qual é a tua ó meu / S. João do Porto (Single, Edisom, 1982), A Noite (LP, UPAV, 1985), Correspondências (LP, UPAV, 1990) LP/CD, José Mário Branco ao vivo em 1997 (CD, 1997), Canções escolhidas 71/97 (CD, 1999) CD (Colectânea), Resistir é vencer (CD, 2004)
Colectivos: A Confederação (LP, Diapasão, 1978) LP banda Sonora - com Sérgio Godinho e Fausto, Maio Maduro Maio (2CD, Sony, 1995) - com Amélia Muge e João Afonso, Três Cantos Ao Vivo (CD, EMI, 2009) - com Sérgio Godinho e Fausto, com o GAC A cantiga é uma arma (1976) LP/CD (G.A.C.), Pois canté! (1977) LP/CD (G.A.C.)
Colaborações: James Ollivier – James Ollivier (1968) LP, Boite à Musique, Jean Sommer – Beauté (1968) LP, Barclay, Jean Sommer – La fête est à nous (1971) Single, Unisson, José Afonso – Cantigas do Maio (1971) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu, José Jorge Letria – Até ao pescoço (1972) LP, Sassetti, Guilda da Música, José Afonso – Venham mais cinco (1973) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu, José Afonso – Fura Fura (1979) LP, Arnaldo Trindade, Orfeu Quarteto Música Em Si – Página em branco (1980) Single, Arnaldo Trindade, Orfeu, José Afonso – Como se fora seu filho (1983) LP, Sassetti, Triângulo (3 temas), Carlos do Carmo – Um homem no país (1983) LP, Polygram, Phiiips José Afonso – Galinhas do mato (1985) LP, Transmedia, Schiu!(Em colaboração com Júlio Pereira José Afonso), Janita Salomé – Olho de fogo (1987) LP, Transmedia, Schiu!, Carlos do Carmo – Que se fez homem de cantar (1990) LP, Polygram, Philips (2 temas), Amélia Muge – Todos os dias... (1994) CD, Sony Música, Columbia
Gaiteiros de Lisboa – Invasões bárbaras (1995) CD, Farol, Camané – Uma noite de fados (1995) CD, EMI — Valentim de Carvalho, Camané – Bom dia, Benjamim (1995) CD, Movieplay, Amélia Muge – Taco a taco (1998) CD, Polygram, Mercury(6 temas), Camané – Na linha da vida (1998) CD, EMI – Valentim de Carvalho, Camané – Esta coisa da alma (2000) CD, EMI – Valentim de Carvalho, Camané – Pelo Dia Dentro (2001) CD, EMI, Canto Nono – O Porto a 8 vozes (2003) CD, EMI, Camané – Sempre de Mim (2008) CD, EMI, Sérgio Godinho e Fausto – Três Cantos (2009) 2 CD/DVD, EMI, Camané – Do amor e dos dias (2010) CD, EMI , Duetos de Lisboa (tema de Camané com Paulo de Carvalho) de 2012, Farol.

© 2013 José Mário Branco à conversa com Soraia Simões, Perspectivas e Reflexões no Campo

Debate ''Música e Sociedade'' no Museu da Música. Sessões Mural Sonoro

Edição, Som, Pesquisa, Texto: Soraia Simões
Recolha efectuada em casa de José Mário Branco

Fotografia: Lia Costa Carvalho