56ª Recolha de Entrevista

                                                                                                                                    Only with permission

Rights reserved - Free access

Quota MS_00019 Europeana Sounds

BI: João Sousa nasceu no ano de 1974 em Lourenço Marques (actual Maputo), Moçambique.

É um Oleiro português, que estudou em Coimbra alguma da arte da Cerâmica e Olaria e mais tarde com um 'mestre chinês' a confecção de ocarinas em barro.

Dos primeiros objectos construídos com barro (com um fim decorativo e seguindo os métodos tradicionais) passou para a construção dos mais diversos instrumentos de percussão (como membranofones: adufes em barro por exemplo), cordas ou sopros e foi evoluindo na construção dos mesmos.

No momento em que esta recolha é efectuada (em Março de 2013) João Sousa dedica-se exclusivamente ao desenvolvimento das práticas em prol da construção dos instrumentos explorando, com a ajuda de músicos e investigadores, as mais variadas técnicas para tirar diferentes sons e até melodias dos instrumentos que desenvolve.

Nesta recolha é crítico em relação às dinâmicas em Portugal que incentivem a prática e difusão da Olaria nacional e sente-se como o único no presente com essa papel dentro de uma arte considerada 'saloia' e em que há pouco investimento ou disponibilidade por parte dos poderes locais, explica também as diferentes formas de produzir alguns dos instrumentos que constrói, como tem chegado ao público, nomeadamente autores/compositores/músicos (embora também o cinema e performance tenha já recorrido a este género de instrumentos musicais que elabora para introduzir nas suas criações/apresentações performativas e de espectáculo), etc.

© 2013 João Sousa à conversa com Soraia Simões, Perspectivas e Reflexões no Campo

Edição, Pesquisa, Som, Texto: Soraia Simões
Recolha Efectuada em Areeiro (Atelier 'Red Clay' de João Sousa

Fotografias: Augusto Fernandes

 

joao 5.jpg