48ª Recolha de Entrevista

Quota MS_00059 Europeana Sounds

BI: António Avelar Pinho nasceu no Entroncamento no ano 1947.

Foi músico, é autor, produtor, escritor de canções e livros. Foi membro fundador de grupos como Filarmónica Fraude (1967) e Banda do Casaco (1973).

Em 1977 escreveu e co-produziu o disco "Fungagá da Bicharada".
Em 1980 entrou para o Departamento Nacional de Artistas e Repertório da Valentim de Carvalho onde, conjuntamente com Nuno Rodrigues, escreveu canções para nomes como Lara Li, Gabriela Schaaf, Concha ou o grupo Banda do Casaco.

Entre muitos outros, trabalhou ainda com diversos nomes da música que é feita em Portugal nos últimos 40 anos, como (sem ordem cronológica e em exemplo) Rui Veloso, Doce, Né Ladeiras, AGIR, entre tantos mais, é também um dos autores da personagem 'Avô Cantigas' celebrizada por Carlos Alberto Vidal.

Nesta recolha de entrevista, da qual se disponibiliza em acesso livre uma parte no nosso acervo online, aborda o início da sua actividade na música com o grupo Filarmónica Fraude, algumas das características de um 'Portugal musical' do passado e do presente, algum teor crítico relativamente ao percurso assumido para a indústria da época por um conjunto de músicos (que foram mudando, de formação em formação) que faziam parte da Banda do Casaco, da importância do Documentário que vira, nos anos 70, no cinema Império e dos discos com as recolhas de Michel Giacometti (da importância, à altura, que assumiu na sua visão no seio da música popular que era feita em Portugal), no 'surrealismo' patente em algumas das coisas que a Banda do Casaco interpretou, mas José Afonso também, no 'protesto' ou 'desconforto' causado pelo grupo numa determinada altura nos órgãos de comunicação, promoção e difusão, mas também em experiências bem recentes com gente mais nova e com outras formas musicais, para quem a Banda do Casaco representa uma referência, como o caso do rapper Sam The Kid, de alguns dos fonogramas da Banda do Casaco, como: 'Dos benefícios dum vendido no reino dos bonifácios', 'Coisas do arco da velha', 'Hoje há conquilhas, amanhã não sabemos', 'Contos da barbearia' ou 'No Jardim da Celeste'.

© 2013 António Avelar Pinho à conversa com Soraia Simões, Perspectivas e Reflexões no Campo

Som, Pesquisa, Texto: Soraia Simões

Fotografias: Augusto Fernandes
Recolha efectuada em LARGO Residências